17.3.09

Eu Sou A Lenda (I Am Legend) - 2008

Tá, storyline, um vírus dizima a população mundial e Will Smith é o último homem na terra, que fica sozinho em Nova Iorque pra descobrir a cura e salvar a humanidade.

Eu vi esse filme essa semana, estréia da grande HBO. Gente, que coisinha fofinha essa Sam não? Juro, pra mim o filme todo podia ser sobre o cachorro. No caso, a cadelinha mais maravilhosa de todos os tempos. Por mim ela dava um pau na Lassie by far. Samantha é da raça Pastor Alemão e, gente, que mimo!

Não sou um dos maiores fãs do Will Smith, verdade seja dita. Mas gostei. Claro que tem toda aquela coisa clássica de zumbis e blá blá blás. Achei uma pegada meio "Extermínio" mas com amor, e com a diferença que a cidade é repleta de manequins, com quem Will Smith conversa como se ainda fossem as pessoas sobreviventes. Alice Braga também deu um toque bacana, brazuca. Parecia nascida e crescida em Hollywood.

Agora, ok, não sei quem aí assistiu ou não mas gente, que coisa mais revoltante ever. Já comecei falando que por mim o filme todo deveria ser sobre a cachorrinha fofa. Obviamente que os personagens mais carismáticos acabam na merda. A coitada morre numa cena digna de novela mexicana, muito amor, muitas lágrimas. Me revolta.

Essa coisa de morte de personagens sem noção me lembra sempre de "Cidade dos Anjos". Filme fofo, Meg Ryan e Nicolas Cage são a personificação do carinho. Daí me vai o tonto abrir mão de nada menos que a eternidade por ela, e ela morre com um saco de pêra. De bicicleta. Ok, alguém tava numa viagem muito grande pra inventar uma dessas. Fico puto.

Mas tá, voltando, "Eu Sou a Lenda" é bacana. Will Smith, devo admitir, é foda. Só vamos começar a deixar os pets vivos por mais tempo né pessoal?

Eu Sou A Lenda
Lançamento: 2008
Duração: 104 minutos
Compare preços: aqui
.

3 comentários:

Alana Della Nina disse...

Chorei até morrer por causa dessa cachorra. Até morrer.
Até hoje não posso ouvir three little birds sem que bata um pesarzinho.

barbreca disse...

Adorei seu post.
HAHA

Eu odeio pastor alemão pois foi um deles que matou meu cachorro, mas a personagem do filme é uma graça de cachorro.

Le Falco rusticolus disse...

Se repararem, todo filme tem dois requisitos para o cachorro morrer:

1- o filme não pode ter o cachorro como personagem principal (Marley & Eu é uma exeção).

2- o cão não pode ser mera "parte do cenário", se ele não tiver um mínimo de participação no filme, ele não morre, pois não mudaria nada.


Agora, se repararem, quando estes requisitos aparecem no filme, o cachorro SEMPRE morre! É só ver filmes como Sinais, Eu sou a Lenda, etc...

O roteiro exige que alguém morra, pra deixar a história triste, mas ao mesmo tempo não pode matar nenhum personagem essencial pra história ocorrer. O que fazer? Matar o cachorro, óbvio!

Não gosto disso, o filme ficaria muito bem sem a morte do cão, e falo isso para qualquer filme!

Aliás, dona Alana Della Nina, quando ficar triste pela cadela, é só se lembrar que na verdade ela está viva, se chama Abby e foi retirada de um abrigo, ou seja, hoje ela está muito melhor do que antes do filme, viu?
(óbvio que tu sabia que a cadela não morreu de verdade, mas é só pra te lembrar).

 
BlogBlogs.Com.Br